Querido Nicholas Sparks!

O que significa amar verdadeiramente uma pessoa? Alguém aí saberia responder? Pois é. Essa é a pergunta de 1 milhão de dólares!

A Última Música

O primeiro amor, o amadurecimento, a relação entre pais e filhos, o recomeço e o perdão.

Aos dezessete anos, Verônica Miller, ou simplesmente Ronnie, vê sua vida virar de cabeça para baixo, quando seus pais se divorciam e seu pai decide ir para a praia de Wrightsville, na Carolina do Norte. Três anos depois, ela continua magoada e distante dos pais, particularmente do pai. Entretanto, sua mãe decide que seria melhor os filhos passarem as férias de verão com o pai na Carolina do Norte.

 O pai de Ronnie, ex-pianista, vive tranquilamente na cidade costeira, absorto na criação de uma obra de arte que será a peça central da igreja local. Ressentida e revoltada, Ronnie rejeita toda e qualquer tentativa de aproximação do pai e ameaça voltar para Nova York antes do verão acabar. É quando Ronnie conhece Will, o garoto mais popular da cidade, e conforme vai baixando a guarda, começa a apaixonar-se profundamente por ele, abrindo-se para uma nova experiência que lhe proporcionará uma imensa felicidade – e dor – jamais sentida.

 Uma história inesquecível de amor, carinho e compreensão – o primeiro amor, o amadurecimento, a relação entre pais e filhos, o recomeço e o perdão.

Mais uma vez Nicholas Sparks nos mostra porque é considerado o mestre do romance moderno e porque seus livros são adorados por leitores de todo o mundo. Seguindo a tradição de seus mais belos romances, ele agora nos apresenta uma comovente histórias sobre família, amizade, amor, amadurecimento e especialmente sobre como perdoar e recomeçar. A Última Música demonstra, como só Nicholas Sparks consegue, de várias maneiras mostrar que o amor é capaz de partir e curar seu coração.

Querido John

O que você faria com uma carta que mudasse tudo?

Mais uma vez Nicholas Sparks me emociona com seus livros, o que pra quem me conhece sabe que não é novidade. Meus filmes favoritos são baseados em seus livros – Um Amor Para Recordar e Diário de Uma Paixão – e dos cinco títulos do autor que eu li, não teve nenhum que não me emocionei em pelo menos um capítulo.

Com “Querido John” não foi diferente, só em ler o prólogo meus olhos já lacrimejaram. Ousado como só ele, Nicholas Sparks já começa com a pergunta de um milhão de dólares “O que significa amar verdadeiramente uma pessoa?”, alguém aí saberia responder? Pois é.

John cresceu sem o amor materno, seu pai o criou dando amor a sua maneira, mas não foi o suficiente para John que quando chegou a sua adolescência se revelou mais um dos garotos rebeldes que não prometiam futuro algum. Depois de terminar o colégio ele começou a trabalhar em algumas lojas da cidade, sempre na mesma rotina, saindo com garotas, bebendo, arrumando briga e pulando de emprego a cada mês. Até que cansou dessa vida e decidiu se alistar no Exercito Americano.

Ele amadureceu lá, ganhou além de músculos sabedoria e logo de soldado passou a ser sargento. Mas tudo em sua vida muda quando ele volta para sua cidade natal na Carolina do Norte para passar sua licença de duas semanas.

Enquanto fazia uma pausa entre uma surfada e outra, John conhece Savannah. Foi amor a primeira vista e John soube no primeiro momento que seria muito mais que um amor de verão, Savannah era a garota de seus sonhos. Savannah, uma garota religiosa que estava ali de férias da faculdade, também se apaixona por John e eles vivem as duas semanas mais apaixonadas e intensas de suas vidas.

Quando essas duas semanas termina John precisa voltar para sua base na Alemanha, mas não antes de prometer a Savannah que um dia irá se casar com ela. Savannah em troca promete esperar por ele, para que ele cumpra sua promessa.

John fica um ano longe e eles passam a se corresponder por cartas, telefonemas e e-mails.

Após um ano John pega mais uma licença de duas semanas e corre para os braços de Savannah, nesse tempo ele conhece sua família e depois passa a morar no apartamento que Savannah tem perto da faculdade onde, já formada, ela é assistente de alguns professores. Outra semana intensa com muito amor, brigas e diferenças.

O que ambos não esperavam é que o destino nem sempre conspira a nosso favor e o ataque de 11 de Setembro acontece, John se vê dividido entre voltar pra casa e deixar covardemente seus companheiros e país par atrás ou se alistas e ficar mais dois anos longe de Savannah. Como o homem de caráter que ele se tornou, se alista novamente e vai para a guerra. Mas em dois anos muita coisa pode acontecer e John irá descobrir que há outras formas de amar uma alguém.

“Querido John” é uma linda e comovente história de amor, que mostra que se você ama alguem, você quer que ela seja feliz independente que como ou com quem. O autor nos mostra seu ponto de vista sobre essa forma de amar, além de podermos ver um pouco sobre a história dos homens que servem o país sem fazer piegas ou perfeito demais.

Sem dúvidas é uma história triste, mas verdadeira e que te faz pensar sobre o que é amar verdadeiramente alguém. O tipo de livro que quando termina você fica triste, e passa o resto do dia pensando na história e o que você faria no lugar dos personagens.

Um Amor para Recordar

O amor é como o vento... não posso vê-lo mas posso senti-lo!

Landon, filho de uma família tradicional, tentava aproveitar ao máximo a liberdade que a pequena cidade de Beaufort, na Carolina do Norte, proporcionava-lhe, antes de entrar na universidade. Jamie, filha do pastor da cidade, estava longe de ser uma típica adolescente.

Sempre carregava uma Bíblia consigo e era o tipo de garota que tirava as ervas daninha do gramado de alguém sem que lhe pedissem, ou parava o trânsito para ajudar crianças pequenas a atravessar a rua.

Eram distantes as afinidades que poderiam aproximá-los, mas, após o baile de formatura, o amor aconteceu e as diferenças de Jamie e Landon acabaram por uni-los na descoberta da alegria, da dor da perda e, sobretudo, da força transformadora do verdadeiro amor. E não é por acaso que ambos viveram a história mais comovente de todos os tempos…

Um Amor para Recordar é romântico e inesquecível! Pois está muito além de um romance ou uma típica paixão da adolescência; a maneira como o Nicholas Sparks abordou todo o conteúdo foi explêndida, faz você ver a vida através de um outro ângulo, perceber valores e sentimentos que por vezes estão apagados esperando somente uma chama de amor, carinho e dedicação para que voltem a brilhar novamente…

(Ela procurava em livros o final feliz que não encontrava na realidade.)

Lethicia. Beijos

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 3.900 outros seguidores